Rio Grande do Norte: Capítulo 6

capitulo6

E quase um ano depois da viagem, eis que chega ao fim essa série de posts a respeito do meu roteiro turístico pelo Rio Grande do Norte, com uma pitada de dica pessoal! Demorou, mas foi bom, porque ao longo desse ano eu consegui reviver um pouquinho cada trecho dessa viagem fantástica toda vez que eu ía escrever sobre ele aqui no blog!

E hoje é dia de recordar o último trecho, que aborda as cidades de Maxaranguape, bem menos conhecida e badalada, e a famosa Genipabu, ponto de parada obrigatório para todos os turistas que visitam o estado!

MAXARANGUAPE

Ao norte de Natal, mas ao sul de Touros, seguindo a famosa BR-101, vamos chegar em uma cidade chamada Maxaranguape, cuja principal atração é mergulhar nos Parrachos de Maracajaú, um pedacinho do Caribe no Nordeste brasileiro! Para quem vai ao Rio Grande do Norte, é passeio obrigatório, pois o que se vê, acima e abaixo d’água, é de tirar o fôlego!

Para montarmos o roteiro e decidirmos em qual dia da viagem iríamos fazer o mergulho, observamos tanto a previsão do tempo, afinal, imagino que a beleza do lugar seja um pouco ofuscada em dias nublados, e a tábua da maré, a mais importante de todas, pois dependendo de como a maré estiver, tem ou não tem mergulho nos parrachos!

Saímos de Touros bem cedo rumo ao sul, e logo na entrada de Maxaranguape fomos abordados por vários, mas vários mesmo, guias turísticos tentando indicar o melhor lugar para adquirir o pacote do mergulho! Acabamos fechando com o lugar que um desses guias nos indicou, a Enseada do Mergulho, e devo dizer que a experiência foi bem satisfatória! O preço inicial era R$80/pessoa, mas conseguimos reduzir para R$65! Isso incluiu o estacionamento do carro, o transporte via catamarã até os parrachos, localizados a cerca de 7km da costa, (ou 1 hora de muito balancê, especialmente quando o mar está mais revolto, fica a dica de tomarem um remédio pra enjôo bem antes de partirem pra não estragar o passeio), e o equipamento de mergulho, que consistia num snorkel e máscara para enxergar embaixo d’água! Você também tem a opção de mergulhar com cilindro de oxigênio, mas esse tipo de mergulho custa mais caro!

O capitão do catamarã nos deu instruções de como realizar o mergulho assim que chegou aos parrachos, e ficou por lá parado por cerca de 1 hora e meia, tempo mais do que suficiente pra nadar por entre os corais e se maravilhar com a beleza que é a natureza! Difícil decidir se é mais bonito dentro ou fora d’água, pois aquela imensidão de água verde esmeralda também impressiona!

14470936_10154918067519523_1906290117_n

Parrachos de Maracajaú

Durante o mergulho, um fotógrafo contratado pela Enseada do Mergulho tira fotos de cada turista no meio dos peixes, e você tem a opção, posteriormente, de escolher se compra ou não o DVD com as 3 melhores fotos por R$10. Compramos, claro! Olha eu aí!

img_5467

Eu e os Peixes

Ao voltar à Enseada do Mergulho, nosso almoço, escolhido antes de sair para o passeio, e cobrado à parte, estava pronto e a nossa espera, o que é um ótimo negócio, visto que você chega em terra firme morrendo de fome mesmo! Um peixe com molho de camarão de lamber os beiços! Super recomendo!

Mas Maxaranguape não é só o mergulho em Maracajaú, apesar dessa ser, sem dúvidas, a principal atração da cidade! Lá você também pode conhecer a Árvore do Amor: trata-se de duas gameleiras unidas pela força do vento para tornarem-se uma só, como se uma estivesse beijando a outra! Romântico, né? Reza a lenda que o casal que se beijar embaixo de seus troncos jamais se separará! Claro que eu e o meu namorado não perdemos a oportunidade de trocar uns beijinhos e garantir a união vitalícia, hahaha!

dsc02716

Árvore do Amor

Essa árvore, na verdade, está situada no Cabo de São Roque, o ponto brasileiro mais próximo da África, que também vale a visita pela vista estonteante que o mirante ao lado do farol oferece!

Duas atrações inesquecíveis cujo pequeno desvio da BR-101 vai valer muito a pena!

GENIPABU

Falar de Natal sem falar de Genipabu, localizada em Extremoz, a um pouco mais de 20 km de Natal, é quase que impossível, pois as cidades, praticamente conurbadas, até se confundem uma com a outra! Genipabu é aquela praia super badalada, cheia, mas muito cheia de gente, que fica difícil até enxergar o mar caso você chegue tarde e tenha que sentar mais ao fundo, em um dos milhares de guarda-sóis previamente dispostos por toda a extensão da areia, junto com vários quiosques que proporcionam uma excelente infraestrutura ao turista! Praticamente um Guarujá potiguar, hahaha, e mesmo assim vale a pena visitar? Vale sim!

Sua atração principal, pelo menos pra mim que vi praias muito mais bonitas do que essa durante o tour pelo estado, é o Parque Turístico Ecológico Dunas de Genipabu! Aqui você poderá fazer esquibunda, escorregando na areia com uma prancha de madeira com destino a um mergulho na lagoa, passear em cima de um dromedário, ou, a principal atração: andar de buggy pelas dunas, com ou sem emoção!

dsc02746

Praia de Genipabu e começo das Dunas

Infelizmente, por estar muito decepcionada com a desonestidade de alguns bugueiros da região, eu e o meu namorado optamos por não fazer esse passeio, mas devo dizer que eu me arrependo muito, pois não conhecemos nada do que as dunas têm de melhor para nos oferecer! Mas como pretendemos voltar ao Rio Grande do Norte em breve, nada está perdido! Hahaha!

Mesmo sem ter feito o famoso passeio, subimos a pé até o topo da duna mais próxima à praia, e já valeu a pena, pois a vista é maravilhosa!

dsc02758

Vista da Praia de Genipabu desde as Dunas

De lá, rumo à Natal de novo, pois no dia seguinte era dia de voltar ao caos urbano que é São Paulo!

 

Espero que essa série de posts tenha ajudado você, turista, que não conhece o Rio Grande do Norte, e está pensando em fazer um roteiro por conta própria, assim como fizemos! Vale muito a pena, e com certeza quando eu voltar a esse paraíso, voltarei no mesmo esquema! Pra você que está indo, desejo uma excelente viagem, com toda a certeza que vai ser muito mais que excelente!!! =)

Anúncios

Rio Grande do Norte: Capítulo 5

Capítulo5

Primeiro de agosto, dia oficial de fim de férias! Não por aqui no blog! O assunto de hoje é mais um pouco do turismo no Rio Grande do Norte pra gente começar esse longo mês sem feriados pelo menos com a lembrança de dias maravilhosos de muito sol na praia!

No capítulo de hoje, duas cidades, uma muito pouco conhecida, mas com muita coisa legal pra oferecer, e outra que está se tornando um destino turístico bem conhecido e badalado ultimamente! Com vocês, Touros e São Miguel do Gostoso!

TOUROS

Seguindo a BR-101 rumo ao norte de Natal, lá longe, literalmente onde o Brasil faz a curva, existe uma pequena e pacata cidade chamada Touros! Conhecida como a esquina do Brasil pela sua localização, a cidade é bem pouco conhecida por ser o marco zero da BR em questão, que corta o país de norte ao sul!

Claro que Touros tem muito mais a oferecer do que somente um marco zero de uma estrada, inclusive, com uma escultura projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, e um dos pontos turísticos da cidade! Aqui você também encontra o Farol do Calcanhar, o mais alto do Brasil, justamente localizado lá na curvinha que dá o apelido à cidade, além de praias maravilhosas fora do perímetro urbano, como Perobas, a minha preferida!

DSC02649

Farol do Calcanhar

Para chegar em Perobas, um paraíso de areia branca e mar azul rodeado por inúmeros coqueiros, o caminho, na maior parte de terra, é sinistro e confuso, mas vale a emoção! Chegando lá, você dá de cara com a pouca, mas suficiente, infraestrutura que a praia oferece: um precário estacionamento e alguns restaurantes beira mar, onde você pode passar o dia, contanto que consuma qualquer coisa! Vale a pena, pois o sol é escaldante, e ficar à sombra de um dos guarda-sóis de palha de coqueiro oferecidos por esses restaurantes é fundamental para não tostar! Além do mais, consumir alguma coisa é praticamente obrigatório, pois a comida – e os preços – são ótimos! Não deixe de experimentar a porção de pastéis de arraia e lagosta do Restaurante do Vozinho, inclusive, onde passamos o dia e fomos muito bem recebidos!

DSC02647

Perobas

A praia também oferece toda estrutura para você visitar seus parrachos e praticar o mergulho! Vale consultar a tábua de marés antes de se deslocar para lá, pois esse tipo de passeio depende muito dela! Nós optamos por não fazer mergulho em Perobas, pois já tínhamos planos de mergulhar em Maracajaú, tema do próximo post, inclusive, mas dizem que aqui a água é mais baixa e dá pra se deslocar e observar melhor os peixes e os corais embaixo d’àgua!

Touros é uma cidade bem, mas bem humilde, mas ao mesmo tempo muito tranquila e agradável! Na orla urbana, alguns restaurantes oferecem aos turistas e moradores opções de ótimos pratos a preços módicos: eu e meu namorado optamos pelo O Castelo para o almoço, um belo prato de camarões à parmegiana, comemos muito, comemos bem, e tudo isso com uma vista maravilhosa para o mar! Super recomendo!

A vantagem de ter ido para Touros é que é uma opção barata de hospedagem (bem simples, tá, pra quem não faz questão de luxo e conforto) para conhecer São Miguel do Gostoso, cujos preços já não fazem parte do orçamento de um mochileiro, hehehe!

SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

Bem mais badalada e muito mais conhecida que Touros, São Miguel do Gostoso é um pequeno vilarejo localizado ainda mais a Norte do estado do Rio Grande do Norte! A origem desse nome tão peculiar deve-se a um morador que recebia os viajantes que por lá passavam com histórias divertidas, muito humor, e uma risada gostosa! Seu apelido passou a ser Seu Gostoso, e de tão famoso pelas bandas, acabou virando ponto de referência, e nome da cidade!

Famosa por suas belíssimas praias bem selvagens e pouco desbravadas, a cidade vem, com o passar dos anos, desenvolvendo seu potencial turístico de modo a se tornar ponto obrigatório para quem vai ao RN!

Pelo menos para quem prática kitesurfe ou windsurf, São Miguel do Gostoso já é mais do que destino certo! Considerado como um dos melhores lugares da América Latina, e quiçá do mundo, para a prática desses esportes, a cidade já recebe gente do mundo todo em suas pousadas beira mar super luxuosas e muito bem equipadas para a finalidade, inclusive oferecendo aluguel de todos os equipamentos necessários!

Apesar de bem menos movimentada do que a praia central onde ocorre a prática desses esportes radicais, a que mais me encantou foi Tourinhos, com sua água azul super quentinha, e sua paisagem de tirar o fôlego! A estrada para chegar aqui também é de terra, mas bem sossegada, não tem como se perder! No que diz respeito à infraestrutura, apenas algumas barraquinhas improvisadas, guarda-sóis, mesinhas e cadeiras de plástico para quem precisar, mas já fica a dica que não existe nenhum banheiro nem perto!

DSC02530

Tourinhos

O melhor que essa praia tem a oferecer, por incrível que pareça, ocorre justamente no final do dia: um pôr-do-sol de tirar o fôlego voltado para o mar! Vale a pena esperar até o final do dia para contemplar esse espetáculo da natureza! Inclusive, muitos bugueiros da região com seus turistas à bordo fazem de Tourinhos a parada obrigatória do final de tarde só pra poderem admirar a beleza que é o pôr-do-sol dessa praia!

DSC02575

Pôr-do-Sol em Tourinhos

Para almoçar por lá, já que saímos de Touros bem cedinho rumo à São Miguel do Gostoso e só voltamos à noite, e visto que as barraquinhas de Tourinhos só oferecem quitutes, nada com muita sustância, pegamos o carro e voltamos até o centrinho da cidade, onde você vai encontrar bem mais opções de restaurantes do que Touros! Tem pra todos os bolsos e gostos!

 

Só de escrever esse post me dá uma saudade imensa dos dias ensolarados que eu passei nessa região ainda pouco explorada do Rio Grande do Norte, mas que, fica a dica, merece e muito alguns dos seus dias por lá! Você não vai se arrepender! =)

Rio Grande do Norte: Capítulo 4

Capítulo4

Quando eu vejo a previsão do tempo nos noticiários, com máxima de 10 graus pra São Paulo e 30 graus pra qualquer estado nordestino, a minha vontade é de largar tudo e voltar pra lá! Mas já que não dá, resolvi escrever esse post pra retornar pelo menos em pensamento!

O assunto do capítulo de hoje é uma das cidades mais badaladas do Rio Grande do Norte, mas não é Natal e nem fica nos seus arredores! Quem já foi pra lá, sabe que eu estou falando de Pipa!

Localizada ao sul do estado, a aproximadamente 80km da capital potiguar, o que dá mais ou menos uma hora na BR-101 completamente duplicada em todo o trajeto, Pipa é parada mais do que obrigatória para quem visita o Rio Grande do Norte! Tão obrigatória que muita gente vai pro RN somente para curtir essa vila tão famosa!

É um dos points dos estrangeiros que visitam o nordeste atrás de sol! Foram eles, aliás, que descobriram esse paraíso! E muitos deles continuam por lá, donos de pousadas, restaurantes… Você vai perceber, a língua que menos se fala em Pipa é o português, hahaha!

Brincadeiras à parte, vamos conhecer melhor o que esse paraíso tem a nos oferecer?

PRAIAS

Assim que chegamos na vila, fomos direto para a Praia do Madero, famosa pelas suas ondas, e o lugar ideal para a prática de surf! Estacionamos o carro num estacionamento na beira de uma estradinha, e descemos uma escadaria de madeira meio rústica que liga o topo das falésias até a faixa de areia da praia!

DSC02281

Praia do Madero

Ao chegar no lugar, ficamos embasbacados com tamanha beleza: o mar azul esverdeado encontra o colorido das falésias, e o resultado é encantador! Além da beleza natural, a praia também conta com algumas barraquinhas que vendem bebidas e quitutes, além de alugarem espreguiçadeiras e guarda-sóis para os turistas! Rola até aluguel de caiaque e prancha de surf, caso você queira se arriscar! A dica mais preciosa: chegue cedo na praia, pois depois das 15 horas (no verão), a falésia já esconde o sol, e a praia fica toda sombreada! Claro que ela continua linda, especialmente porque, quando estávamos por lá, vimos a lua nascendo no mar, mas praia pede sol, então, fica a dica!

No segundo dia, fomos para a praia mais conhecida de Pipa: a Praia do Amor! Tem esse nome porque, na maré baixa, o mar forma a parte de cima de um coração na areia, coisa mais linda de se ver! Essa praia também conta com estacionamento, mas dessa vez, cobrado! Quando você chega aos pés da falésia para começar a descer até a areia, uma placa super fofa deixa claro onde você está!

DSC02292

Praia do Amor

A vista é espetacular, e vale perder alguns minutos por lá contemplando-a! Você não vai se cansar, mas eventualmente vai querer descer! Aqui, a escadaria é ainda mais roots: degraus escavados na própria falésia, sem nenhum guarda-corpo ou coisa do tipo! Provavelmente não é todo mundo que consegue descer, infelizmente! Lá embaixo você também conta com barracas que vendem bebidas, comidinhas, e, caso você resolva ficar em uma delas, elas te emprestam de graça sua espreguiçadeira e guarda-sol! Vale a pena, porque eventualmente, pelo menos um coco gelado você vai querer tomar! A praia também é point de surfistas, e, quando estávamos lá, inclusive, estava tendo campeonato de surf estadual! Muito legal!

Saindo da Praia do Amor, à esquerda, fica a Praia do Centro! É a praia mais acessível da região, com uma rampa que liga a Avenida dos Golfinhos, a rua principal de Pipa, até a faixa de areia! Mas também, é a praia que tem menos belezas naturais! Muitas barraquinhas e mesinhas de plástico ocupam a faixa de areia! Vale como ponto de partida para outras praias com acesso mais prejudicado!

Se você continuar a caminhada rumo à esquerda, depois de aproximadamente 1h30, você chegará no lugar mais maravilhoso da vila: a Baía dos Golfinhos! E vale cada minuto da caminhada, pois essa praia é deslumbrante! Aqui, as falésias, ainda mais íngremes do que o normal, ficam completamente coloridas, cada faixa de uma cor, e o azul esverdeado do mar completa a paisagem que já é perfeita!

DSC02340

Baía dos Golfinhos

Para deixar a sua experiência por lá ainda mais completa, à tarde, simpáticos golfinhos costumam aparecer perto da areia para dar um oi para os turistas! Eu não vi, já que fui de manhã, mas deve ser lindo demais! Inclusive, fica a dica: para chegar nessa baía, a maré precisa estar baixa, pois na maré alta as muitas pedras que você encontra pelo caminho prejudicam a passagem!

PONTOS TURÍSTICOS

Se você resolver rumar à direita quando estiver na Praia do Amor, vai dar de cara com uma escada que te leva diretamente a um platô em cima da falésia: trata-se do famoso Chapadão! Segundo o dono da barraca que ficamos, é onde você vai tirar as melhores fotos da sua viagem, e ele tinha razão!

DSC02360

Chapadão e o Namorado Lindo

Imagine três faixas de cores maravilhosas que deixam qualquer foto ainda mais maravilhosa: o laranja da falésia, que estava ainda mais bonito com a luz do fim de tarde, quando visitamos o lugar (que também tem acesso por fora da praia, rua asfaltada e tudo mais), o verde do mar, e o azul do céu! Perfeito! Fora a vista que você tem da Praia do Amor! Dá pra ver, inclusive, o tal do coração, mas depende da maré! Achamos o lugar tão lindo que voltamos lá no dia seguinte para contemplar o nascer do sol de lá, e devo dizer que valeu acordar às 4 da manhã: o espetáculo é de tirar o fôlego!

DSC02428

Nascer do Sol no Chapadão

A noite chegou, e não dá mais pra curtir a praia! O que fazer? Correr para a Avenida dos Golfinhos, a principal rua de Pipa, onde os melhores restaurantes da cidade se concentram, e dividem espaço com lojinhas, supermercados, e algumas baladinhas!

a-noite-na-vila-da-praia-da-pipa-rn-e-agitada-ha-bares-restaurantes-e-baladinhas-para-publicos-de-diversos-estilos-1378512034775_956x500

Avenida dos Golfinhos

Mesmo que você esteja super cansado, vale o passeio por lá, é uma delícia! As ruas de paralelepípedo e as casinhas todas coloridas mostram a beleza da simplicidade do lugar! Além do mais, é lá que você vai encontrar o que ou onde jantar, provavelmente, pois o resto da vila não tem muito o que oferecer nesse quesito!

Pipa, na verdade, é uma vila de Tibau do Sul, esse sim, o município oficial! E na cidade existe mais coisa pra fazer além da famosa vila! Infelizmente, não tivemos tempo de fazer esse passeio, mas ficamos com muita vontade, porque, pelas fotos que vimos, parece ser realmente lindo: apreciar o pôr-do-sol da Lagoa de Guaraíra! Se você não estiver de carro e mesmo assim quiser fazer esse passeio, existem várias pessoas na Avenida dos Golfinhos vendendo um pacote, que inclui até passeio de barco pela lagoa para apreciar o espetáculo da natureza!

lagoa_guaraíra

Lagoa de Guaraíra

GASTRONOMIA

Como já dito anteriormente, é na Avenida dos Golfinhos que se encontram os melhores restaurantes de Pipa! E por lá, você encontra de tudo: muitas cantinas italianas, casas especializadas em frutos do mar, creperia, restaurantes japoneses e até lanchonetes! Vai do gosto de cada um! Mas como eu sou viciada em camarão, e o Rio Grande do Norte é um dos principais produtores do crustáceo, não tive dúvidas de que jantaria nas minhas duas noites em alguma casa que servisse essa iguaria, hahaha!

E de fato, assim o fizemos! Na primeira noite, depois de percorrermos a avenida de cabo a rabo, escolhemos jantar no La Terrazza, um restaurante que fica no andar de cima de uma galeria de lojas, em um amplo terraço com vista para o centrinho! Pedimos um macarrão com molho ao sugo e camarão, e devo dizer que foi o melhor que eu já comi na vida! Temperado com perfeição, só de lembrar me dá vontade de me teletransportar pra lá agora, hahaha! Super indico! O atendimento também é ótimo, todo mundo super atencioso e simpático!

IMG_1628

La Terrazza

Na segunda noite, optamos pela Fazenda do Camarão, que não fica na avenida principal, mas em uma vielinha perpendicular! Se você estiver preocupado em não achar o lugar, não se preocupe, fica um funcionário do restaurante na Avenida dos Golfinhos te levando pra lá! E meu, como valeu a pena! Pedi exatamente o mesmo prato, hahaha, que também estava delicioso, com uma vantagem: o tamanho dos camarões! Gigantes! Meu namorado pediu um atum selado na crosta de gergelim e também aprovou o prato! Recomendo de olhos fechados!

IMG_1681

Fazenda do Camarão

 

Infelizmente, foram só dois dias e duas noites em Pipa, mas que foram suficientes para deixar muita saudade, e muita vontade de voltar! Pra você que está indo pra lá agora, te desejo uma excelente viagem! Não tem como não ter! =)

Rio Grande do Norte: Capítulo 3

Capítulo3

Nada melhor do que relembrar uma viagem deliciosa pra terra do sol pra esquecer um pouco desse friozinho que assola São Paulo!

E no capítulo de hoje, vou falar sobre três cidades localizadas ao sul de Natal, que são tão maravilhosas quanto a capital do Rio Grande do Norte, apesar de um pouco menos famosas, e, apesar de praticamente vizinhas, sem toda aquela badalação de Pipa: Piramgi do Sul, Tabatinga e Baía Formosa!

PIRANGI DO SUL

Localizada no município de Parnamirim, essa praia está tão perto de Natal que você nem pode considerar que fez uma viagem até lá! São aproximadamente 15km que te separam do agito da capital potiguar de uma praia paradisíaca e razoavelmente tranquila, com maior movimentação apenas na alta temporada!

Por lá, é possível fazer um passeio de barco para visitar os parrachos da região, ideal para a prática do mergulho com snorkel ou mesmo com cilindro de oxigênio! Eu e meu namorado dispensamos o passeio por já termos programado um mergulho nos parrachos mais famosos do Rio Grande do Norte, em Maracajaú (em breve, post com mais informações), mas recebemos bastante ofertas de agentes de turismo que rodeiam o ponto turístico principal da cidade: o Maior Cajueiro do Mundo!

DSC02233

Maior Cajueiro do Mundo

Você não pode ir ao estado sem visitar essa árvore! E o tamanho dela impressiona mesmo, você tem até dificuldade de imaginar que tudo aquilo é parte de um só cajueiro! Ao subir no mirante do local, dá pra visualizar melhor a imensidão do negócio: são 8500 m² de copa! Apesar do tamanho, quando fomos, em novembro do ano passado, não encontramos sequer um caju já maduro e pronto pra ser colhido – aliás, o próprio guia já diz que quem encontrar um por lá, que fique à vontade para pegar! Mas tudo bem, porque sendo época ou não, na saída da atração você encontra um delicioso suco de caju, além de castanhas fresquinhas!

TABATINGA

Seguindo viagem pela BR-101 rumo ao sul do estado, a próxima cidade que nos chama atenção é Tabatinga! Não tem como não ficar apaixonado pela paisagem à beira da estrada ao longo dessa cidade, diga-se de passagem! São falésias espetaculares, um verdadeiro paredão com diversas nuances de cores terrosas, banhadas por um mar azul esverdeado cristalino! De tirar o fôlego!

Tanto que fizemos um desvio não programado até o mirante da região, e devo dizer que vale a pena! A vista é espetacular, uma das paisagens mais bonitas de toda a viagem! E já que já tínhamos mudado os rumos do roteiro, resolvemos dar uma esticada até a parte mais calma da praia de Tabatinga, pois não achamos a entrada para a parte onde rolam altas ondas, ideais para quem pratica surf!

DSC02266

Mirante de Tabatinga

E aqui começa a parte mais triste da viagem! A praia é bem rústica, não possui nenhuma infraestrutura para o turista, quiçá estacionamento, e por isso, estacionamos o nosso carro com todas as nossas bagagens em um gramado ao lado de umas casas. Fomos até a praia, que, diga-se de passagem, é paradisíaca, e resolvemos passar algumas horinhas descansando por lá, quando chegaram alguns turistas com um buggeiro que nos alertou sobre o risco de deixar o carro estacionado com nossas coisas dentro sem supervisão, e que era muito comum furtos de pertences naquela área! Foi com um enorme aperto no coração que recolhemos as nossas coisas e partimos rumo à Pipa, sem usufruir um pouco mais daquele mar tão verdinho e tão morno!

A minha dica: vá sem nada para deixar no carro, ou contrate um buggeiro disposto a passar algumas horas com vocês nessa praia, vale a pena!

BAÍA FORMOSA

Ao sul de Pipa existe um paraíso bem menos explorado pelos turistas do que a badalada cidade em questão, mas nem por isso, menos belo e reconfortante! A Baía Formosa faz jus ao nome, é tão, mas tão bela, que é considerada o Caribe Brasileiro! Inclusive lá foram filmadas muitas cenas da novela Flor do Caribe, fato que os habitantes locais adoram lembrar com muito orgulho, hehehe!

Entre seus 26 km de orla, uma praia mais linda que a outra, onde o tom do mar se alterna entre azul e verde, dependendo da profundidade dos corais! Um verdadeiro espetáculo!

Na Baía dos Golfinhos, onde se encontra o porto e a colônia de pescadores, você pode subir num mirante e ter uma vista geral de tamanha beleza! Com certeza vale a visita! Ao lado do mirante, uma das dezenas de placa remetendo à novela global, hahaha!

DSC02463

Baía dos Golfinhos

Passamos pela Praia da Cacimba rapidamente ao chegarmos na cidade, e descemos do carro apenas pra olhar e fotografar a paisagem!

Optamos por passar o dia na Praia de Bacupari, onde o mar é aberto e propício para o surf, apesar do fundo de pedra requerir alguns cuidados extras! O namorado adorou, hehehe, e eu adorei mais ainda passar minhas horas sentada à sombra de um coqueiro observando aquela imensidão verde azulado, ou azul esverdeado, você decide, hehehe!

DSC02482

Praia de Bacupari

O dono da barraca onde almoçamos mais tarde, e diga-se de passagem, uma delícia de almoço, bem regional, nos informou que havia um farol a alguns minutos de caminhada da parte mais urbana da praia, e resolvemos ir até lá: valeu super a pena, pois além da paisagem ser um espetáculo ao longo do caminho, com direito a piscinas naturais quentinhas deixadas entre os corais pela maré baixa, a vista da praia com aquele farol e aquele céu azul valeu todo o esforço!

DSC02501

Farol de Bacupari

Apesar de estar a 90km da capital, encontra-se a apenas 20km de Pipa! Vale muito a visita! E se estiver na pegada de alugar um buggy, aproveite e vá conhecer a famosa Lagoa de Coca-Cola, com suas águas escuras lembrando o refrigerante em questão, que os nativos acreditam ter poderes medicinais e rejuvenescedores! Eu não fiz o passeio, mas um amigo me disse que ao entrar na lagoa, a sua pele fica com um toque aveludado delicioso!

 

E só de relembrar desses dias maravilhosos nesse paraíso, a vontade de voltar fica ainda maior… Pra você que está indo, aproveite e tenha uma excelente viagem! =)

Rio Grande do Norte: Capítulo 2

Capítulo2

Quando você pensa em Rio Grande do Norte, a primeira cidade que vem na sua cabeça, com certeza, é Natal!

Com menos de um milhão de habitantes, é uma cidade razoavelmente tranquila, sem confusões e stresses do dia-a-dia das grandes cidades, como trânsito, poluição e violência! Apesar da recomendação dos locais de estar sempre atento, me senti bastante segura por lá!

Mas vamos falar de coisa boa! Com uma média de 300 dias de sol por ano, Natal é também conhecida como a cidade mais ensolarada do Brasil! E por esse e outros motivos, é um dos destinos preferidos pra férias dos brasileiros que adoram pegar uma praia!

Pra escolher quando ir, basta saber se está a fim de badalação ou não! No verão e feriados, as praias ficam mais cheias, os lugares mais lotados, e, consequentemente, os preços mais altos! Na baixa temporada, além de tudo ser mais barato, a cidade fica deserta e perfeita pra quem quer descansar com muita tranquilidade!

E aí, vamos conhecer melhor o que a capital potiguar tem pra nos oferecer?

PRAIAS

Se você gosta de agito e badalação, vá direto para a Praia de Ponta Negra! Com certeza é a praia urbana mais movimentada da cidade, e com mais infraestrutura para o turista, como banheiros públicos no calçadão, e uma ampla variedade de restaurantes, bares e lojinhas de artesanato ao longo da orla.

DSC02219

Praia de Ponta Negra

Seu principal cartão postal é o Morro do Careca, a única duna da praia, que lembra muito uma careca com chumaços de cabelo nas laterais. Faz alguns anos que não se pode mais escalar essa duna, pois a erosão causada pelo excesso de visitas estava danificando o local.

Sua faixa de areia branca com água verde, cristalina e bem quentinha, é um convite para sentar e curtir o sol e o visual o dia todo – quer dizer, pelo menos até a hora que a maré deixar, pois perto do fim da tarde o mar toma conta da praia, e só é possível curtir o local do calçadão!

DSC02781

Nascer do Sol em Ponta Negra

Fica a dica pra apreciarem o nascer do sol nessa praia! Um verdadeiro espetáculo da natureza!

Outra praia bem frequentada da cidade, porém bem menos badalada, é a Praia da Areia Preta, assim chamada devido a pedras existentes na faixa de areia que, quando entram em decomposição, tingem de preto a areia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praia da Areia Preta

Eu, particularmente, não tive muito tempo de curtir essa praia, e acabei parando por lá quando estava de passagem pra Genipabu! Mas pelo que eu pude observar, ela também conta com uma infraestrutura legal de quiosques para oferecer um conforto melhor pro turista, além de águas calmas, porém, com maior presença de pedras e recifes também dentro do mar.

Seu principal ponto turístico é o Relógio de Sol, localizado numa praça no centro do bairro onde se localiza a praia. Mas na minha opinião, o que há de mais bonito pra se observar é a vista da Ponte Newton Navarro!

Natal também conta com a Praia dos Artistas, outro ponto de interesse turístico da cidade! Ideal para a prática de surf, pois o mar é bem mais agitado nessa praia! Fica a dica pra tomar um cuidado extra com a grande quantidade de pedras submersas!

Praia-dos-Artistas1

Praia dos Artistas

Por aqui, você pode escolher se gosta de badalação, na área com quiosques e barraquinha para servir o turista, ou se gosta de um turismo mais tranquilo, sem muita estrutura!

E se de dia essa praia já bomba de gente, à noite ela vira um verdadeiro point de moradores e turistas, pois é nessa região que se concentram as melhores baladas da cidade. Bom, isso eu não vou poder confirmar pra vocês, porque eu sou velha desde que nasci e odeio balada, hahaha! Mas se o guia diz…

Quer mais praia? A Praia do Forte é outra parada obrigatória para o turista, e seu diferencial está justamente pelo seu arredor histórico, com um dos pontos turísticos de Natal, o Forte dos Reis Magos, localizado nessa praia.

praia do forte 2

Praia do Forte

Com mar mais agitado do que as outras praias da cidade, é ideal para a prática de surf e windsurf! E também tem uma área para mergulhos, mas só para quem já tiver alguma experiência na área!

PONTOS TURÍSTICOS

O Forte dos Reis Magos, fundado em 1599 como marco inicial da cidade, é um dos principais pontos turísticos de Natal, conservando até hoje a sua estrutura original, com planta em formato de estrela, arquitetura característica da época!

DSC02824

Forte dos Reis Magos

Do alto do forte, a vista é recompensadora e imperdível: você pode observar onde o Rio Potengi encontra com as águas verdes do mar! Se você ainda não se convenceu de visitar a edificação, saiba que a visita é gratuita e bem rápida!

Logo ao lado, encontra-se a Ponte Newton Navarro, que liga os bairros da Zona Norte de Natal e os municípios do litoral norte do estado aos bairros da Zona Leste da cidade e litoral sul, passando por cima do Rio Potengi! Pela sua estrutura estaiada, e seu tamanho imponente, é hoje considerada um ponto turístico da cidade!

pontenn

Ponte Newton Navarro

Você pode aproveitar que está na região e fazer um passeio de catamarã pelo rio! E fica a dica para observarem o pôr-do-sol nesse local, um espetáculo incrível e inesquecível!

Outro lugar para visitar se estiver com tempo sobrando é o Shopping do Artesanato Potiguar! São várias lojinhas espalhadas por alguns andares, oferecendo diversos tipos de artesanato pra você presentear a família toda! Só fica a ressalva: quase todas as lojinhas vendem exatamente o mesmo produto, que de artesanato mesmo, não tem nada! Fiquei um pouco decepcionada de perceber que era tudo produto chinês, provavelmente…

GASTRONOMIA

Por ser uma cidade muito turística, Natal oferece pro seu visitante uma ampla variedade de opções de restaurantes, que servem desde comida regional, passando por churrascarias, lanchonetes, até aquela pizza que todo brasileiro adora!

Por sermos de São Paulo e contar com uma gastronomia muito rica aqui na nossa cidade, eu e meu namorado acabamos optando por comer apenas em restaurantes regionais! Além disso, sou uma fã inveterada de camarão, e depois que eu fiquei sabendo que Natal é a principal produtora do crustáceo aqui no Brasil, acabei baseando todas as minhas escolhas nisso, hehehe!

Nossa primeira parada foi no Mangai, que, aliás, é praticamente um ponto turístico da cidade, com uma decoração temática e super regional, com direito a frutas penduradas nas paredes e garçons vestidos de cangaceiros! Pra entrar no clima mesmo da comida regional! E por falar em comida, o restaurante serve pratos a la carte, mas é estrelado justamente pela sua imensa opção de pratos servidos no quilo! Entortou o nariz? Você não está entendendo, é MUITA opção mesmo, e a grande maioria regional! Acho esse esquema super legal porque dá pra você pegar um pouco de tudo e experimentar o que há de melhor na gastronomia nordestina em um só lugar e sem pagar muito caro!

mangai

Mangai

Como eu já disse, eu e meu namorado somos viciados em camarão, então não poderíamos deixar de ir no restaurante Trilha do Camarão, um lugar bem simples, que é um esquema de rodízio de pratos onde o fruto do mar é a grande estrela! Strogonoff, moqueca, pirão, macarrão, e tudo mais o que você puder cozinhar com camarão, será servido nesse restaurante! Vá com fome! E só se gostar muito de camarão, hahaha!

E falando em camarão, não poderíamos deixar de conhecer o famoso e sofisticado Camarões Potiguar! Logo ao entrar no restaurante, a decoração luxuosa assusta um pouco, e você já começa a pensar no rombo no orçamento, hahaha! Quando o garçom, super atencioso, chega com o cardápio, fica difícil optar por um prato só no meio daquelas inúmeras opções deliciosas, dá vontade de pedir tudo! Na primeira garfada, um só arrependimento: não ter ido comer lá todos os dias em que estive em Natal! E o melhor de tudo foi a conta depois, toda uma experiência gastronômica deliciosa, com vista para o mar, inclusive, pelo preço que você paga num restaurante mediano em São Paulo!

camaroes potiguar

Camarões Potiguar

 

Natal é uma cidade deliciosa, em todos os sentidos! Acabei de voltar de lá, e não vejo a hora de voltar pra lá!

E pra você que está indo, uma ótima viagem! =)

Rio Grande do Norte: Capítulo 1

Capítulo1A

Hoje começa uma série de postagens a respeito da minha viagem em novembro do ano passado para o estado do Rio Grande do Norte!

E devo dizer que foi uma das melhores viagens da minha vida! O lugar é lindo, paradisíaco, você não consegue andar muito sem querer parar pra fotografar os lugares maravilhosos que existem nesse lugar!

O mais engraçado é que foi uma viagem que não estava planejada, acabou saindo de última hora, e eu e meu namorado tivemos pouquíssimo tempo pra nos organizar! Todo o tempo livre que eu tinha era dedicado à pesquisa de um roteiro bem legar pra gente fazer, então pra facilitar a vida do próximo, hehehe, resolvi postar tudo aqui!

Espero que seja útil!

ROTEIRO

Quando decidimos meio que no susto fazer uma viagem pro Nordeste, acabamos escolhendo o Rio Grande do Norte como destino, já que era meu sonho de consumo conhecer Natal! Optamos ir em novembro porque era o que tinha pra hoje, hahaha, mas demos muita sorte, porque era baixa temporada, ou seja, sem muvuca e com preços mais módicos, e um dos meses mais secos do ano, logo, com pouca probabilidade de chuvas! E fomos!

Em primeiro momento, estávamos com planos de ficar hospedado somente na capital potiguar mesmo, mas mudamos de idéia! Foi só começar a pesquisar sobre o litoral do estado, que a vontade de conhecer tudo de cabo a rabo foi tomando conta da gente, e decidimos alugar um carro em Natal para viajar pelo litoral todo! Como pegaríamos o carro bem no meio do litoral, na capital, onde nosso avião pousaria, o nosso trajeto não ficou super eficiente do jeito que a gente queria, mas até que deu pra aproveitar bem o tempo!

Ficaríamos 8 dias em terras potiguares, e chegaríamos em Natal numa terça-feira! Decidimos dormir a primeira noite na capital, visto que uma viagem de avião de São Paulo pra lá já seria suficientemente cansativa pra gente ter que pegar estrada de novo, mas logo ao amanhecer do outro dia, seguiríamos rumo ao litoral sul do estado!

E aqui fica uma dica bem legal: pesquisando hotéis em Pipa, descobrimos que o preço da diária de um mesmo hotel nos finais de semana chega a ser o triplo da hospedagem em dias de semana, então encaixamos Pipa na quarta e na quinta, pagando bem menos, e evitando praias muito cheias!

Na estrada até Pipa, as paradas seriam em Pirangi do Sul, pra conhecer o maior cajueiro do mundo, e depois passaríamos o resto da manhã em Tabatinga, quando seguiríamos viagem pra Pipa, pra aproveitar o fim de tarde!

Em Pipa planejamos ficar duas noites, e visitaríamos a Praia do Madeiro e a Praia do Amor! No dia seguinte, a parada seria em Baía Formosa, e depois do almoço, pé na estrada até a esquina do Brasil, a cidade de Touros!

Praticamente atravessamos o estado pela BR-101, que está em bom estado de conservação! Dois poréns: chegamos em Natal no horário de rush, perto das 5 da tarde, e perdemos o maior tempão no congestionamento! Evitem! O segundo porém: no meio do caminho, anoiteceu, e a estrada ficou num breu total, não dava pra ver absolutamente nada além do alcance dos faróis! Ok, o céu estrelado compensou o perrengue, mas todo cuidado é pouco, já que a pista não é duplicada, e em alguns trechos o asfalto foi recapeado recentemente e ainda não havia sinalização horizontal na pista!

Em Touros planejamos ficar 3 noites, com direito a um dia inteiro em São Miguel do Gostoso, e outro nas praias da cidade. Depois, rumo a Natal novamente, mas fazendo uma parada estratégica em Maxaranguape para um mergulho nos parrachos de Maracajaú!

Natal novamente para mais 2 noites na capital, e de volta pra selva de pedras!

HOSPEDAGEM

Não queríamos – e nem podíamos – gastar muito, então resolvemos fazer uma pesquisa minuciosa a respeito do custo x benefício de pousadinhas em todas as cidades onde dormimos!

Usamos o Trivago para ver o menor preço das diárias, que sempre estavam no Booking! Pra decidir qual seria a escolhida, delimitamos uma faixa de preço, abríamos somente os links das pousadas com notas altas segundo as avaliações dos usuários, e depois líamos as críticas da galera que já tinha ficado hospedada lá!

Já adianto que chegamos a excelentes conclusões, foram ótimas escolhas!

Em Natal, ficamos na pousada Caminho da Praia, a um preço de R$30/dia/pessoa. Super em conta se levarmos em consideração a sua localização, super perto (5 minutos de caminhada) da praia de Ponta Negra, a mais badalada de Natal, e a qualidade dos quartos, que são enormes, bem limpos, com uma cama super confortável, banheiros excelentes, e até uma cozinha bem equipada dentro de cada quarto! Sem falar no dono, o Yan, um francês que deixou Paris há 15 anos pra morar no paraíso! O único senão: não tem ar condicionado, só ventilador, mas que dá conta do recado! Recomendo de olhos fechados!

Em Pipa ficamos na pousada Império do Sol, a um preço de R$24,50/dia/pessoa. Desacreditamos no preço quando chegamos no local: eram vários chalézinhos individuais dispostos em uma área verde enorme e linda, com um mini complexo de piscinas no centro! Parecia um mini resort! Tudo muito limpo, bem espaçoso, com ar condicionado e estacionamento privativos! O único porém é que ela fica bem afastada do centro de Pipa, mas como a gente estava de carro, isso não era problema! Valeu super a pena, pretendemos voltar pra aproveitarmos melhor a estrutura de lá!

Já em Touros, ficamos na única pousada que o Booking disponibilizava pras datas, a pousada Novo Horizonte, a um preço de R$40/dia/pessoa. Não tivemos muita escolha nesse caso, por isso posso afirmar com certeza que, apesar do maior preço, foi a pior hospedagem da viagem, mas mesmo assim, deu pro gasto! O quarto era bem pequeno, o banheiro então… Mas isso não seria problema se o chuveiro funcionasse direito, mas não funcionava, hehehe! De resto, a pousada é bem simples, mas tem ar condicionado nos quartos, e um estacionamento privativo no terreno da frente! Foi bom mas poderia ter sido melhor!

TRANSPORTE

Decidimos logo de cara que alugaríamos um carro assim que saíssemos do aeroporto, e depois de pesquisar no site Argus Car Hire qual era a menor tarifa de aluguel, optamos pela Foco!

E aqui começa a única história desagradável da viagem!

Pra começar, o guichê dessa companhia fica fora do aeroporto, mas uma van deles te leva até o lugar pra você retirar o carro, sem custo algum! Ao chegarmos no balcão, a nossa reserva estava no sistema, mas a atendente disse que teríamos que deixar um débito de R$700,00 no cartão como calção caso acontecesse alguma coisa com o carro, que seria extornado quando retornássemos, e que teríamos que pagar um seguro obrigatório diário, pois sem ele o carro não poderia sair da locadora!

Isso não estava especificado no voucher que o site gerou para a nossa reserva, mas meu namorado conversou com ela que, pagando a locação do carro com o cartão dele, a própria Visa se encarrega de cobrir os custos com o seguro, e então a atendente liberou o carro pra gente! Quando entramos no carro, o funcionário que nos deu a chave disse que teria uma taxa de higienização de R$30 quando devolvêssemos o carro, algo que também não estava no voucher, e combinamos, eu e meu namorado, que não pagaríamos!

Ok, usamos o carro durante os 8 dias sem problema algum, nada aconteceu! Quando entregamos ele no guichê da companhia, ficamos surpresos de saber que a nossa reserva de R$450 do voucher tinha se transformado numa reserva de mais de R$700 por causa do seguro! Falamos que pagaríamos somente o que estava no voucher, mas a discussão foi em vão! Resultado: fomos embora sem pagar! Mas eles debitaram sem nossa autorização o valor integral da reserva, e estamos indo pros Pequenas Causas por causa disso! Ou seja, NÃO ALUGUEM CARRO COM A FOCO!!!

Textão e reclamações à parte, também ficamos um pouco arrependidos de não ter alugado um carro 4×4, pois existe bastante lugar legal que só esse tipo de carro consegue chegar!

A outra alternativa pra chegar nesses locais seria fechar um passeio com algum bugueiro credenciado, mas evitamos essa opção por dois motivos: um, já estávamos gastando bastante dinheiro com aluguel de carro pra ter que alugar um bugue em paralelo; dois, muitos bugueiros são bem sacanas, apagando várias placas no meio das estradas para que só eles consigam chegar nos lugares, e te indicando caminhos errados pra você atolar, eles irem te salvar e te cobrarem uma grana por isso! Ficamos com raiva deles, hahaha!

Por isso, fica a dica: alugue um 4×4, mesmo que o aluguel seja mais caro! Deixamos de conhecer lugares maravilhosos por causa disso!

 

Nossa, acho que me empolguei e escrevi demais! E ainda vão ter mais capítulos dessa nossa viagem, trecho a trecho, pra facilitar ainda mais a vida de quem quer viajar pelo Rio Grande do Norte!

Aguardem! =)

10 Coisas Para se Fazer em Peruíbe

Julho é mês de férias, eeeee! O que significa planejar aquela viagem mega sofisticada, cara, e pra bem longe do Brasil, né? Não necessariamente! Quando a gente está sem muito tempo ($$$) pra viajar pra longe, acabamos tendo que nos virar por aqui mesmo! Mas isso pode nos render surpresas formidáveis!

Como foi o caso das minhas últimas férias! A viagem pra Colômbia não deu certo, então o namorado e eu decidimos de última hora passarmos dez dias em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo! Eu achava que já sabia tudo o que a cidade tinha pra me oferecer, mas só depois dessa viagem, com a cabeça mais aberta pra novas descobertas, que eu me apaixonei e realmente conheci a cidade!

E hoje venho com algumas dicas de lugares para você, que ainda não conhece Peruíbe, ou mesmo que acha que já conhece!

PRAINHA

Prainha

De tanto que eu amo essa praia, ela já apareceu aqui pelo blog como uma das minhas 5 Preferidas do Litoral Paulista, e claro que não poderia deixar de ser citada novamente nesse post! Depois de uma pequena estradinha de terra que conecta a Estrada do Guaraú à entrada da praia, você chegará no paraíso e poderá desfrutar de uma paisagem exuberante o dia todo, com o mar azul de fundo, e uma faixa de areia cheia de pedras salpicadas por toda a extensão! Para se apaixonar e querer voltar sempre!

BARRA DO UNA

Barra do Una

Por estar situada a 23 km do centro da cidade, e com acesso dificultado por uma estrada de terra e cascalho com alguns trechos meio tensos (especialmente em épocas chuvosas), é uma praia pouco freqüentada pelos turistas, mas com uma beleza natural de tirar o fôlego! Inserida dentro da Estação Ecológica da Juréia, essa praia conta com cinco ecossistemas em suas redondezas, dunas, várzea, mangue, restinga e mata, e encontra-se totalmente preservada, o que é uma raridade hoje em dia! Vale muito a pena a visita, mas vá preparado, porque a infraestrutura para turistas vai de precária a nula, especialmente em baixa temporada!

CANTINA O GORDO

O Gordo

Se existe um restaurante que vale a pena a espera para entrar, é a Cantina do Gordo! Com pratos deliciosos, fartos e a preços mais do que justos, o restaurante, comandado de perto pelo dono, um senhor que faz jus ao nome do restaurante e que verifica pessoalmente cada prato que sai da cozinha, abre somente em determinados dias da semana, e vive com fila na porta! Não deixem de provar o Spaghetti com Camarões, ou o Camarão do Gordo, acompanhados por uma casquinha de siri e uma cervejinha sempre gelada!

MIRANTE DA SERRA DO GUARAÚ

Nascer-do-Sol

Parar lá durante o dia para apreciar a vista do mar e de parte da cidade já é parada obrigatória para todos os turistas que freqüentam a cidade, mas a minha dica é que visitem o local durante o nascer do sol! O resultado é o astro rei deixando um rastro dourado no oceano, e você boquiaberto com toda a maravilha que está observando! E não deixe de passar muito repelente pra poder aproveitar o espetáculo com tranquilidade!

MERCADO MUNICIPAL DE PEIXES

Mercado de Peixes

Se você gosta de peixes e frutos do mar, esse é o seu lugar! São vários quiosques pra oferecer ao público sempre o que acabou de ser pescado pelos pescadores locais! Vá à barraca 30, que oferece sempre salmão e camarões fresquinhos e deliciosos, além de serem bem atenciosos e simpáticos com seus clientes! Não deixe também de provar algumas ostras durante sua visita ao local!

PÔR-DO-SOL NA PONTE

Pôr-do-Sol

Logo atrás do Mercado de Peixes, existe um rio que desemboca no mar, e para atravessá-lo, existe uma ponte com uma das melhores vistas para curtir o pôr-do-sol na cidade! O cenário fica perfeito com a composição de montanhas ao fundo, muita vegetação, um píer, e os reflexos dourados do sol na água cristalina do rio! O repelente também é válido pra cá!

PARNAPUÃ

Parnapuã

Essa praia é tão, mas tão preservada, que seu acesso se faz somente por trilha ou por barco em mar aberto, e existe um controle de permanência por lá durante a alta temporada! Fui uma vez só de lancha e valeu muito a pena, você simplesmente esquece do mundo, tamanha a paz e tranquilidade que o ambiente te proporciona! Por ter mar bastante agitado, a praia é bastante freqüentada por surfistas! Leve mantimentos para passar o dia, visto que a infraestrutura é inexistente, e aproveite para levar sacos de lixo e recolher tudo o que não pertence ao local! Não deixe de combinar com o cara do barco um horário de retorno pra vocês não ficarem esquecidos no meio do nada e terem que voltar por trilha, que, pelo que eu li, exige um certo preparo físico da galera!

FEIRINHA

Feirinha

Para quem está com família, crianças, ou mesmo não curte baladas ou barzinhos mais movimentados, a feirinha de Peruíbe é um bom lugar para passear à noite, e de quebra comer alguma coisinha gostosa! As opções vão desde temaki a lanches variados, passando por crepes, fogazzas e vários doces! Vale a pena dar uma olhada nas lojinhas com artesanato local! E caso esteja com crianças, elas poderão curtir o parquinho, que fica por lá também!

PÃO DE MAÇÃ

Pão de Maçã

Com duas unidades espalhadas pela cidade, essa padaria artesanal é uma gracinha, desde o ambiente todo decorado como se fosse um chalézinho nas montanhas, até os docinhos deliciosos que comercializa! Vá para curtir o café da manhã, são diversas opções de pães, bolos, doces, mas o meu preferido é o omelete de peito de peru e ervas finas! Você vai sair de lá satisfeito e encantado!

CACHOEIRA DO PEREQUÊ

Cachoeira do Perequê

O único ponto turístico de Peruíbe que falta eu conhecer pessoalmente, apesar de ter visto a cachoeira de longe! Não curto muito entrar em água gelada e morro de medo de escorregar em uma pedra e me machucar, mas tenho certeza que o cenário maravilhoso de pura natureza preservada vai ser o suficiente pra eu curtir muito o local! O acesso, controlado por guardas florestais, se dá por meio de uma estradinha de terra e cascalho! A dica do repelente também vale pra cá!

E vocês, já conhecem Peruíbe? Conheciam todos esses lugares que eu citei? Indicariam mais algum? Me contem!!! =)